26/07/2011

Gravado em suas mãos: O DIA EM QUE DEUS CONTEMPLOU AS SUAS MÃOS!



O livro das sabedorias de Salomão, Eclesiastes, cap. 3, diz que “há um tempo determinado para todas as coisas”. Isso significa dizer que nada do que acontece está fora do controle de Deus. Deus tem sob sua supervisão todos os acontecimentos da face da Terra. Ele sabe quantas folhas das árvores caem em um determinado dia; sabe, também, quantos fios de cabelos tem em nossa cabeça; sabe a quantidade de estrelas, os grãos de areia da praia. Ele tem conhecimento de tudo porque todas as coisas foram criadas por ele. Todas as coisas vieram por intermédio de sua Palavra, a saber Jesus Cristo. (João 1).
Isso nos prova que a nossa vida também está sob os olhos dele. Ele contempla todas as coisas, todos os nossos dias, todas as nossas lágrimas, todos os nossos medos etc. Mas chega uma hora que Deus para. Ele para para analisar a nossa situação. Ele para para escutar o nosso clamor, para ouvir o nosso choro e entender o nosso lamento. Quando isso acontece, ele escuta o nosso gemido e toma uma atitude. Quando o nosso clamor incomoda o coração de Deus ele sempre age. Isso não significa que ele não estava ouvindo antes, mas que ele agora resolveu parar para agir.
Quando Israel ainda estava cativo dos egípcios, por cerca de 430 anos, Deus nunca deixou de vê-los. Ele ouvia suas lamúrias, suas dores, seus temores. Ele tinha ciência da situação em que eles estavam. Ele os ouvia e se contorcia por cada pancada que eles levavam.
Porém, chegou uma hora em que Deus se sentiu tão incomodado com aquela situação que resolveu agir de forma veemente. Ele olhou para as suas mãos e viu nelas gravados os caminhos de mais de 3 milhões de pessoas. Ele pôde contar todos os filhos mortos, todos os dias de escravidão, todos os momentos de dores e amarguras. Deus, então se incomodou com aquela realidade. Vai chegar uma hora em que Deus vai se incomodar com a sua situação e mudar a sua sorte, mudar a realidade de sua vida de forma sobrenatural.
Quando olhamos para o mundo ao nosso redor, temos a impressão de que Deus está  alheio aos nossos problemas, como se ele não nos visse ou se importasse conosco. Isso acontece devido à nossa incapacidade de compreender os planos de Deus. Mas a realidade é bem diferente. Temos uma prova disso na Bíblia:
Depois disse o Senhor a Noé: Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque tenho visto que és justo diante de mim nesta geração. (Gênesis 7.1)

Esse versículo mostra uma verdade que a maioria de nós esquece ao longo de nossa caminhada: Deus nos contempla o tempo todo. Ele começa com uma palavra temporal “depois”. Depois de quê? Lendo o último versículo do capítulo 6, temos uma noção de como Noé recebeu todas as ordens de Deus no tocante à arca da salvação. Diz o versículo 22 do capítulo 6 que fez tudo conforme, isto é, de acordo, como o Senhor lhe mandara.  Isso nos ensina algo interessante: Depois de fazer todas as coisas segundo as ordens de Deus, ele nos mostrará a válvula de escape. Noé não questionou a Deus sobre suas decisões: ele simplesmente obedeceu. O cuidado de Deus com Noé mostra que durante todo o tempo em Deus passou observando as ações dos homens, ele viu que aquele homem se mantinha fiel. Ele conhecia os passos de Noé. Deus sabia que em meio aquela sujeira, aquele lago de pecado havia uma família que ele tinha de salvar.  Deus, como soberano e Senhor sobre todas as coisas, poderia ter acabado com todos os homens, pois a terra estava cheia de pecado. O pecado imperava. Os homens não se comprometiam mais com Deus, não se importavam mais com as causas de Deus. A terra estava vazia de Deus porque os homens andavam segundo os seus próprios conselhos. Seria justo Deus acabar com tudo e criar uma nova raça humana. Mas ele não agiu assim. Ele olhou para a terra e viu em meio ao amontoado de desgraça, pecado e injustiça havia um homem justo, um homem que ainda podia ouvir a sua voz.


Fico pensando que talvez Deus quisesse salvar mais pessoas, mas eles estavam tão ocupados com seus pecados que não eram capazes de ouvi-lo. Da mesma forma, hoje vemos o mundo mergulhado no caos. Os homens andam segundo seus próprios conselhos. Distanciaram-se do seu Criador e inventam formas e fórmulas para viver suas vidas independentemente da vontade Deus. Mergulharam de forma tão intensa em seus próprios mundos que se tornaram incapazes de ouvir os alertas de Deus. Seus ouvidos se agravaram, seus olhos estão cerrados. Ouvem tudo, menos a voz do Bom Pastor.
Contudo, ainda perguntamos onde está Deus que nada fez para que o pedófilo não tivesse um orgasmo quando estuprou uma criança; onde está Deus que não acaba com a fome, com a miséria, com a dor. Mas a verdade é que Deus tem querido acabar com tudo isso, mas nossos ouvidos estão acostumados a tanto barulho do mundo que não conseguimos mais ouvir o  chamado de Deus.
Diante desse quadro, ficamos pensando que Deus se esqueceu até mesmo de nós, afinal todo dia enfrentamos uma vida dolorida, cruel e, por vezes, sem sentido. Mas a pergunta que precisamos nos fazer é: “Já fiz tudo o que Deus mandou, conforme ele mandou?” Se a resposta for “não”, é sinal de que não estamos aptos a cobrar nada de Deus. Noé só pôde entrar na Arca depois de cumprir todas as exigências de DEUS. Mas nós queremos uma vida justa, feliz, sem problemas, próspera, sem ao menos termos o trabalho de conhecer o que Deus exige de nós hoje.
Esse capitalismo exacerbado que vivemos hoje, em que aprendemos a ter as coisas com um simples clique no mouse, em que fomos ensinados a não esperar nada, a ter, ter, ter e ter, nos fez esquecer que precisamos semear antes de colher: Se queremos colher uma vida digna, com saúde, prosperidade e graça, precisamos plantar no Reino da Vontade de Deus.  Para colhermos salvação, precisamos plantar arrependimento. Para colher prosperidade, precisamos plantar uma vida regada aos princípios da palavra de Deus. O problema é que queremos ser prósperos, mas continuamos a viver segundo os princípios do mundo e andar segundo o conselho dos ímpios. Para adquirirmos todas as promessas da Bíblia, precisamos mudar a nossa mentalidade: sair da mente do mundo para a mente de Cristo.
E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Romanos 12.1)

O que Paulo quer mostrar nesse versículo é que a falta de uma mente renovada, cheia das coisas do passado, de velhas amarras, não pode experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Mas o Diabo gosta de nos convencer do contrário: ele tenta nos mostrar que podemos continuar sendo quem sempre fomos e crescer na vida com Deus. Podemos continuar praticando as mesmas coisas ao longo da vida porque se trabalharmos com afinco conquistaremos as coisas que Deus nos prometeu, porque ele é fiel para cumprir as suas palavras. Mas isso na verdade é uma forma de nos fazer perder o foco: só conheceremos a vontade de Deus para as nossas vidas quando nossa mente estiver renovada, estiver cheia de coisas novas, cheia de novidades.
         A renovação da nossa mente precisa ser algo constante. Muitos acreditam que o simples fato de terem levantado as mãos na igreja na hora do apelo já lhes dá direito de serem chamados “ filhos de Deus”, mas a verdade é outra. O “aceitar a Jesus na igreja” é apenas o primeiro passo. Depois disso vem o batismo, que é um dos passos para se renovar a mente. Renovar a mente é  mudar os paradigmas que o diabo colocou em nossa mente desde muito cedo, através da internet, da televisão, dos jornais, de alguns livros didáticos etc. Mudar os paradigmas fala de adquirirmos uma nova consciência, de mudar nossa maneira de ver as coisas. A Bíblia diz que o homem natural entende as coisas naturalmente, logo para renovar a nossa mente, precisamos passar a ver as coisas espiritualmente, isto é, mudar paradigmas.
         Um exemplo evidente sobre mudança de paradigma está expresso no livro de Isaías, capítulo 53. Vejamos:

1 Quem deu crédito à nossa pregação? e a quem se manifestou o braço do Senhor?

2 Pois foi crescendo como renovo perante ele, e como raiz que sai duma terra seca; não tinha formosura nem beleza; e quando olhávamos para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos.

3 Era desprezado, e rejeitado dos homens; homem de dores, e experimentado nos sofrimentos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.

4 Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.

5 Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós.

7 Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a boca; como um cordeiro que é levado ao matadouro, e como a ovelha que é muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a boca.

8 Pela opressão e pelo juízo foi arrebatado; e quem dentre os da sua geração considerou que ele fora cortado da terra dos viventes, ferido por causa da transgressão do meu povo?

9 E deram-lhe a sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte, embora nunca tivesse cometido injustiça, nem houvesse engano na sua boca.

10 Todavia, foi da vontade do Senhor esmagá-lo, fazendo-o enfermar; quando ele se puser como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias, e a vontade do Senhor prosperará nas suas mãos.

Lendo esse capítulo e conhecendo um pouco da história do povo de Israel, dá pra entender a dificuldade que eles tiveram de aceitar Cristo, como  o Filho de Deus, o libertador.  Ao profetizar sobre a vinda do Messias 700 anos, Isaías queria levar os judeus a renovarem as suas mentes, a mudarem a lente que usavam para enxergar o Cristo. Os judeus esperavam um guerreiro, libertador, um homem que enfrentasse os fortes romanos e os derrotasse. Isaías tentou fazê-los mudar essa visão, mostrando que o verdadeiro messias seria humilhado, flagelado, machucado e morto e que a libertação a que ele se referia era espiritual e não política. Mas eles insistiram em continuar usando a mesma lente. Resultado: até hoje esperam o Messias, que já veio para salvá-los há mais de 2000 anos.
Este é o resultado de uma mente velha, que não foi renovada: não evolui, não se desenvolve. Uma mente sem renovação fica no mesmo lugar a vida toda, tendo as mesmas esperanças, as mesmas expectativas, as mesmas vontades, as mesmas necessidades. Mas uma mente renovada muda suas necessidades, sai do lugar comum e alcança lugares incríveis, porque aprendeu a querer, esperar e desejar  algo novo para si. O homem, quando renova a sua mente de acordo com a vontade de Deus, aprende a esperar as coisas de Deus. Ele passa a desejar aquilo que Deus deseja, ele passa a sonhar aquilo que Deus sonha, a pensar aquilo que Deus pensa. Mas o que DEUS pensa a nosso respeito?
”Pois eu bem sei os planos que estou projetando para vós, diz o Senhor; planos de paz, e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança.” (Isaías 29.11).
        
Quando a nossa mente estiver pensando os pensamentos de Deus, teremos paz, pois a paz é um plano  de Deus para nós. Deus não nos planeja fome, miséria, violência, guerra, dor. Ele projeta paz, um futuro bom, uma nova esperança. Mas só podermos usufruir disso quando a nossa mente estiver renovada, quando aprendermos a pensar os pensamentos de Deus. Isso me faz lembrar um ensinamento de Jesus nos evangelhos:
Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário?(Mateus 6.25)

Aqui vemos o Mestre ensinar sobre a vida. A ansiedade é uma coisa tremenda: ela nos fazer tomar decisões completamente precipitadas e que nos causam verdadeiros terremotos. Deus sabe que precisamos trabalhar, comer, vestir, colocar gasolina no carro, pagar nossos impostos etc., mas ele quer nos ensinar a trabalhar para ter essas coisas sem ficar preocupado, estressado quando essas coisas parecem faltar. Muitos, inadvertidamente tomam essa passagem de forma isolada e dizem que podemos confiar em Deus que nos dará todas as coisas. Mas isso é uma falácia: Jesus está mostrando que teremos todas essas coisas quando trabalharmos por elas, mas sem viver na expectativa de tê-las. O que Jesus queria mostrar é que mudar a forma de ver as  coisas nos traz como resultado uma vida melhor. Isso é mudança de paradigma.

3 comentários:

carla disse...

Anderson que o Bom DEUS te abençoe sempre. Parabéns. vc tem obedecido as palavras de DEUS. Esse livro ira fazer muitas pessoas a refletir e saber como DEUS é misericordioso, e na verdade so precisamos ser obdiente, e ter Fé.

Wladimir Amazonas disse...

O tempo sempre pertence a Deus, por isso temos que está com o nosso coração puros e santos para entender a vontade de Deus.
E mudança de paradigma é tão difícil para muitos.

Parabéns, quando lançar me avise.

Shalom

Blog da FATENE disse...

Obrigado, Wladimir pelas palavras. Estou me dedicando para lançar, mas é tudo tão caro.
Paz e Graça.